Futebol

A importância do primeiro lugar

Presidente do Grêmio Esportivo Brasil destaca desempenho do grupo e analisa a sequência do Gauchão

13 de Março de 2018 - 08h21 Corrigir A + A -

Por: Sérgio Cabral
cabral@diariopopular.com.br 

Presidente falou sobre as conquistas recentes em visita ao DP (Foto: Paulo Rossi - DP)

Presidente falou sobre as conquistas recentes em visita ao DP (Foto: Paulo Rossi - DP)

O presidente do Xavante - há seis mandatos - Ricardo Fonseca, destacou nesta segunda-feira (12) ao Diário Popular sobre a importância do trabalho do futebol, da comissão técnica que ele apostou, dos atletas que ficaram do grupo mais experiente e dos novos atletas chamados pelo treinador Clemer e disse que a conquista do primeiro lugar na primeira fase do Gauchão, com a Taça Centenária da FGF, coloca o rubro-negro em novos desafios a partir desse momento.

O objetivo inicial do Brasil era conquistar o título do interior, assim Ricardinho recebeu todos na reapresentação de 2018 e assim projetou o traçado para o Campeonato Gaúcho. "Hoje, estamos com tudo em dia. Temos uma responsabilidade mensal de R$ 400 mil - tudo em dia - com o futebol profissional. Com a nova aposta e com o trabalho de todos, chegamos na frente da dupla Gre-Nal, com seus orçamentos em mais de R$ 10 milhões de reais por mês", destacou.

O presidente quer mais: "Sei que o nosso objetivo inicial foi conquistado, mas agora passamos por uma outra etapa e vamos lutar para chegar na final do Gauchão. É importante para o clube chegar ao título do interior, mas a Copa do Brasil também nos interessa. Em 2012 conseguimos voltar ao cenário nacional no segundo semestre, depois de longos anos, e começou o nosso projeto pela volta à Copa do Brasil", disse Ricardinho.

Sobre o fato de encarar o São Luiz, nas quartas de final, o presidente disse que será mais um desafio, mas que a garantia de jogar a segunda partida em casa, até o final da competição, pode ser importante para o clube. "Todos os jogos são complicados e parelhos. Empatamos com o São Luiz em Ijuí. Agora, será um novo momento com mata-mata. Pegamos uma chave boa e conseguirmos passar, será muito interessante, pois os demais jogos serão em casa, na volta", argumenta.

Final na Baixada?
Ainda existem mais duas etapas para o Xavante sonhar com a final do Gauchão 2018. Mas o presidente afirma que não existe problema algum para o Brasil encarar a final em casa. "Estamos liberados e com tudo em dia, com o número mínimo necessário para jogar a final em casa - mas ainda tem muita coisa pela frente, respeitamos muito todos os adversários. Na semifinal nada é exigido, mas na final são necessários dez mil lugares. Nós temos 10.495 lugares disponíveis na Baixada", encerrou Ricardinho.

Sócios
A direção do Brasil voltou a pedir novamente o apoio dos torcedores - para que se associem. As despesas aumentam sempre nestes momentos. No domingo, a premiação pela vitória - que geralmente vale R$ 18 mil - passou a R$ 25 mil. De acordo com Edu Pesce, responsável pelo Departamento de Sócios, o Brasil precisaria de mais 2 mil sócios para apoiar o clube neste momento de Gauchão e na preparação para a Série B do Brasileiro. Hoje, são quatro mil sócios no total, mas alguns estão em débito com o clube. "Bom momento para todos acertarem os atrasados e ajudar o Brasil", disse Edu.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados