Música

Imersos no aguaceiro

Banda Psico apresenta novas canções em show, nesta segunda, no Mercado Central

19 de Junho de 2017 - 08h32 0 comentário(s) Corrigir A + A -
 Leandro (E), Thiago e Robledo Gil integram o grupo (Foto: Divulgação - DP)

Leandro (E), Thiago e Robledo Gil integram o grupo (Foto: Divulgação - DP)

Dois irmãos e um amigo de longa data formam uma das bandas com mais tempo em atividade de Pelotas. A Psico foi criada em 2001, passou uma extensa temporada no Rio de Janeiro e, desde o ano passado, está de volta à cidade natal. Entre um show e outro, o trio prepara o lançamento do segundo álbum, intitulado Aguaceiro, cujas canções receberão uma prévia ao vivo nesta segunda no Sete ao Entardecer.

O conceito do projeto surgiu numa viagem de ônibus durante um dia de chuva. “Estava vindo de Porto Alegre e, conforme ia se aproximando de Pelotas, a janela foi ficando mais embaçada, percebia aquela densidade do lado de fora, a umidade, essa vida anfíbia que vivemos, cercados por este aguaceiro”, comenta Thiago.

Apesar da questão geográfica inspirar o nome, o disco é formado por uma compilação de músicas produzidas durante os últimos dez anos. Até o momento duas já foram gravadas e devem totalizar uma dezena. Cada faixa receberá ainda um registro audiovisual produzido dentro do estúdio A Vapor, o que chamam de “record session”.

O primeiro desses vídeos será divulgado nesta segunda meio-dia, no canal do YouTube e na fanpage da banda. A música escolhida chama-se A noite e aborda o clima de diversão e mistério, envolto na farra dionísica propiciada pelas horas sem a presença do sol. “Existe também um aspecto político. É na noite, através da música, que as pessoas se unem, cantam juntas na mesma energia”, acreditam.

Os demais vídeos e suas respectivas canções serão lançados ao longo do ano, culminando no lançamento do álbum físico. Os irmãos Leandro e Thiago destacam o fato do trabalho ser 100% autoral. Segundo eles, a cidade está precisando de uma maior valorização para a música própria. “Hoje se tem uma cena pub de rock’n’roll, que é legal porque viabiliza a agenda das bandas, mas se perdeu a cena underground, que era onde o autoral reinava”, comenta Leandro.

Aguaceiro promete ser um álbum importante na carreira da banda formada ainda pelo baterista Robledo Gil. “Nunca trabalhamos tanto, nunca estivemos tão bem estruturados enquanto grupo e nunca estivemos tão maduros para compor”, analisam os integrantes da Psico.

Repertório
O show no Sete ao Entardecer reúne canções destes mais de 15 anos de carreira e algumas faixas pertencentes ao novo álbum. Estão previstas, em média, 12 canções - durante 80 minutos de apresentação. “Como somos um trio, exploramos afinações diferentes de instrumentos - e efeitos também - para suprir a falta de mais integrantes no palco”, explica Thiago.

Volta para casa
A banda pelotense iniciou com o nome Psico Say Caniggia. No ano em que lançaram o primeiro álbum, formado por músicas produzidas entre 2001 e 2006, os irmãos Thiago e Leandro mudaram-se para o Rio de Janeiro e passaram dez anos na Cidade Maravilhosa. Thiago, inclusive, tocou no primeiro álbum de Chicão, filho da Cássia Eller. Em 2008, simplificaram o nome da banda para Psico. Após uma história bacana em um dos principais centros do país, a dupla retornou a Pelotas no ano passado. “Foi uma etapa que se esgotou”, define Leandro, sobre a passagem fora. Na opinião dos músicos, não é preciso ter pressa para sair da cidade natal. “Nos tempos atuais, pode-se produzir música de ótima qualidade sem precisar deixar o teu lugar”, avaliam. Ambos também admitem que estavam com saudades do Sul.

O quê? show da banda Psico, no Sete ao Entardecer

Quando? segunda às 19h

Onde: Mercado Central

Entrada Franca


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados