Ameaça

Depois de susto, águas voltam a baixar

Nível da Lagoa dos Patos estava a 1,40 metro acima do nível na tarde desta sexta-feira; cinco famílias foram removidas pela Defesa Civil na Colônia de Pescadores Z-3 e Pontal da Barra

16 de Junho de 2017 - 17h20 Corrigir A + A -

Por: Michele Ferreira
michele@diariopopular.com.br 

Jorge Ferreira Vargas, 45, que há dois meses vivia na vila Bom Jesus, no bairro Areal, caminha por rua alagada do Pontal da Barra, onde mora atualmente, na tarde desta sexta-feira.

Jorge Ferreira Vargas, 45, que há dois meses vivia na vila Bom Jesus, no bairro Areal, caminha por rua alagada do Pontal da Barra, onde mora atualmente, na tarde desta sexta-feira. "Já baixou bastante", disse ele (Foto: Paulo Rossi - DP)

Ao fundo, moradoras da Colônia de Pescadores Z-3 caminham pela rua alagada no início da tarde desta sexta-feira; nível da Lagoa dos Patos, que estava 1,48 metro acima do nível quarta-feira, registrou 1,40 nesta sexta. Previsão de vento Oeste favorece escoamento das águas (Foto: Paulo Rossi - DP)

Ao fundo, moradoras da Colônia de Pescadores Z-3 caminham pela rua alagada no início da tarde desta sexta-feira; nível da Lagoa dos Patos, que estava 1,48 metro acima do nível quarta-feira, registrou 1,40 nesta sexta. Previsão de vento Oeste favorece escoamento das águas (Foto: Paulo Rossi - DP)

Depois do susto registrado no feriado, em que as águas se mantiveram em alta, o nível da Lagoa dos Patos voltou a cair nesta sexta-feira (16) em Pelotas.

No início da tarde, estava com 1,40 metro. A previsão de vento Oeste chega como boa notícia, já que é favorável ao escoamento das águas. A Defesa Civil segue em alerta e verifica as condições para as cinco famílias - que precisaram ser removidas - retornarem para casa na Colônia de Pescadores Z-3 e no Pontal da Barra.

A moradora da região do Cedrinho, na Z-3, começou a sexta aliviada, mas mantém os móveis levantados: "A gente tem que se prevenir. Quando a água sobe é muito rápido", resume Carla Virgínia Garcia, 52. A catadora de recicláveis Gislaine Bernardes Castro, 53, também comemora o fato de o pátio já não estar inundado. O cenário, entretanto, ainda não era suficiente para abandonar as botas de borracha e vestir um par de tênis - exemplifica, determinada a retomar a rotina de trabalho.

Para normalizar
Quatro famílias do Pontal da Barra - com idosos e crianças - permaneciam fora de casa nesta sexta. A Casa de Passagem, no centro, servia de abrigo aos moradores. Na estrada de acesso ao local, os sinais de que a lagoa havia avançado; seja pelo barro, seja pela vegetação do banhado, levemente ladeada.

O clima, todavia, já era de tranquilidade; mesmo para quem chegou há pouco. Era o caso de Jorge Ferreira Vargas, 45, que até há dois meses vivia na vila Bom Jesus, no bairro Areal. "Já baixou bastante e agora acho que só vai melhorar. Ontem [quinta-feira] tava acima do joelho", conta ele, com água pela canela.

Medidas para contenção
Os dois diques do Balneário Valverde, um deles erguido de forma emergencial durante a cheia de outubro de 2015, receberam manutenção na quinta-feira de Corpus Christi. Os quatro pontos com vazamento - três deles no dique antigo - foram estancados; garante o secretário executivo da Defesa Civil, João Arthur Nascimento. 

Quem mora nas imediações e, não raro, sofre com alagamentos dentro e fora de casa, admite: "Quero me mudar daqui", resume o pedreiro Alexandre Danemberg, 42. Ele critica a falta de manutenção preventiva. Na sexta-feira, parte da rua Gramado permanecia empoçada. Uma cena comum - reitera, sobe na bicicleta e já sabe todos os atalhos para escapar do lodo.

Situação de emergência
O Ministério da Integração Nacional reconheceu a situação de emergência em mais quatro cidades do Rio Grande do Sul que têm sofrido os efeitos das enxurradas: Barão de Cotegipe, Pedras Altas, Porto Mauá e Porto Xavier. Além do monitoramento das áreas pela equipe técnica do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos de Desastres, representantes do governo federal também têm auxiliado na elaboração dos Planos de Trabalho para solicitação de apoio e implementação das ações de assistência à população.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados