Engano

Trote para o 190 mobiliza três viaturas da Brigada Militar até a Galeria do Laranjal

Falso comunicado de roubo em uma das lojas foi passado para a sala de operações do 4ºBPM

16 de Junho de 2017 - 10h52 Corrigir A + A -

Por: Giulliane Viêgas
giulliane.viegas@diariopopular.com.br

Oito policiais invadiram o local em buscas dos criminosos e se depararam com ambiente tranquilo (Foto: Reprodução de WhatsApp) (Foto: Divulgação - DP)

Oito policiais invadiram o local em buscas dos criminosos e se depararam com ambiente tranquilo (Foto: Reprodução de WhatsApp) (Foto: Divulgação - DP)

Atualizada às 19h24

Trote repassado ao 190 da Brigada Militar (BM) na manhã desta sexta-feira (16) em Pelotas deslocou três viaturas e oito policiais a um falso assalto à galeria do Laranjal. A "brincadeira" fez com que duas viaturas ficassem posicionadas na entrada do centro comercial pela rua Marechal Deodoro enquanto a outra estava pela Barão de Santa Tecla cuidando a movimentação dos supostos assaltantes.

A Brigada Militar foi acionada após denúncia de que dois homens estariam assaltando uma das lojas da galeria. Conforme os policiais da sala de operações, a riqueza de detalhes e as características dos suspeitos repassadas através da denúncia, seria impossível imaginar que se tratava de um trote. A denúncia, inclusive, informara o número da loja que teria sido alvo dos criminosos. Segundo o falso comunicado, os suspeitos estariam de arma em punho e usando moletons nas cores vermelha e preta.

Ao chegar no local, porém, os PMs se depararam com situação de normalidade no centro comercial. Quem circulava pela galeria estranhou a intensa movimentação de policiais em um local considerado tranquilo.

Para a polícia, quem repassou a informação falsa tinha interesse de retirar as viaturas de circulação de algum ponto da cidade. "A população precisa ter consciência do que isso pode acarretar. Alguém poderia estar precisando dessas guarnições e elas prestando apoio em uma falsa ocorrência", comentou um PM da Sala de Operações da BM.

O falso assalto e a movimentação de PMs na galeria do Laranjal movimentaram as redes sociais e os grupos de WhatsApp. Pelas redes, internautas relataram que a polícia estaria "em peso" em busca de assaltantes.

Diariamente, segundo o subcomandante do 4º Batalhão de Polícia Militar (BPM), Márcio André Facin, a sala de operações da Brigada Militar - local onde são atendidas as chamadas do 190 - recebe dezenas de trotes e ligações indevidas. Conforme o oficial, a cada cinco ligações à emergência da BM, por exemplo, quatro são trotes. "Acontece muito e é um caso grave. Prejudica os atendimentos de uma cidade com mais de 320 mil habitantes e diante da atual situação da BM, complica o serviço prestado para quem realmente precisa", considerou. Os horários em que os trotes são mais frequentes são no período de recreio e na saída de crianças e adolescentes das escolas.

Trote é crime
As penas variam e dependem a quem o trote será direcionado ou da gravidade da "brincadeira". O Código Penal prevê que "interromper ou perturbar o serviço telefônico" é crime e o infrator poderá ser responsabilizado em seis meses a um ano de detenção ou multa. Se o trote tiver por finalidade anunciar uma falsa ação delituosa, quem pratica o ato poderá responder nos termos do artigo 340 por comunicação falsa de crime ou de contravenção.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados