Região

Defesa do Polo Naval vai a Brasília semana que vem

Audiência está marcada para o dia 22; Frente Parlamentar busca apoio do empresariado gaúcho

15 de Junho de 2017 - 08h41 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

Movimentação de metalúrgicos diante do Estaleiro Rio Grande, em imagem de outubro do ano passado; Frente Parlamentar em Defesa do Polo Naval vai a Brasília semana que vem para reunião com ministros e representantes da Petrobras a fim de pressionar o governo federal a retomar a produção nas unidades instaladas no Rio Grande, São José do Norte e em Charqueadas (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Movimentação de metalúrgicos diante do Estaleiro Rio Grande, em imagem de outubro do ano passado; Frente Parlamentar em Defesa do Polo Naval vai a Brasília semana que vem para reunião com ministros e representantes da Petrobras a fim de pressionar o governo federal a retomar a produção nas unidades instaladas no Rio Grande, São José do Norte e em Charqueadas (Foto: Carlos Queiroz - DP)

A Frente Parlamentar em Defesa do Polo Naval do Rio Grande - principalmente após o término da construção da P 71 - vai a Brasília semana que vem para discutir a retomada das atividades nos estaleiros em reunião com representantes dos ministérios das Minas e Energia e da Indústria, Comércio Exterior e Serviços e do escritório da Petrobras no Distrito Federal. A audiência está marcada para o dia 22 deste mês. A informação é da assessoria de imprensa da prefeitura do município.

Na terça-feira (13) a Frente Parlamentar coordenada pelo deputado estadual Nelsinho Metalúrgico (PT) reuniu-se com prefeitos, vices, secretários municipais, representantes de Sindicato dos Metalúrgicos e representante da Secretaria Estadual do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia. O encontro procurou afinar o discurso para pressionar o governo federal na perspectiva de construção de alternativas para os polos navais no Rio Grande do Sul. .

De acordo com a nota, a política adotada pela Petrobras e pelo governo Temer quanto aos estaleiros está causando  prejuízos para a economia do Rio Grande do Sul (queda arrecadação ICMS), de prefeituras (com redução drástica nos seus orçamentos) e, principalmente, para a vida dos trabalhadores que atuavam direta ou indiretamente nos polos navais do Rio Grande/São José do Norte e de Charqueadas.

Na reunião, também foi ressaltada a importância do governo gaúcho, assim como do empresariado através da Fiergs (Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul), de unirem-se às prefeituras, sindicatos, aos Arranjos Locais de Produção (FURG) e à Frente Parlamentar para defender os polos navais instalados no Estado como impulsionadores de geração de emprego e renda e, consequentemente, desenvolvimento aos municípioss. “Este debate não é só da prefeitura do Rio Grande ou de Charqueadas, nem do Sindicato dos Metalúrgicos, é um assunto de interesse de todos os gaúchos, da economia do Rio Grande do Sul, independentemente de cor partidária”, afirma o deputado Nelsinho Metalúrgico.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados