Varejo

Empresários do comércio estão confiantes no Dia dos Namorados

Como de praxe, na data, muitos casais devem deixar a escolha do presente para a última hora e manter a surpresa

12 de Junho de 2017 - 06h58 Corrigir A + A -

Por: Michele Ferreira
michele@diariopopular.com.br 

O casal Cassiana Hellwig, 27, e Robert Kath, 24, no calçadão da Andrade Neves, na manhã de sábado; o par estava apenas olhando as mercadorias nas lojas para deixar para fazer a compra do Dia dos Namorados nesta segunda-feira (Foto: Paulo Rossi - DP)

O casal Cassiana Hellwig, 27, e Robert Kath, 24, no calçadão da Andrade Neves, na manhã de sábado; o par estava apenas olhando as mercadorias nas lojas para deixar para fazer a compra do Dia dos Namorados nesta segunda-feira (Foto: Paulo Rossi - DP)

Esta segunda-feira (12), que marca o Dia dos Namorados, ainda deve ser de movimentação no comércio em busca de um mimo para o amor.

Como não raro ocorre no 12 de Junho, devido ao clima das surpresas, a compra do presente fica para a última hora. Nos últimos dias, o tempo firme e ensolarado, além da circulação de turistas, especialmente no sábado, em função da Fenadoce, animaram aos comerciantes.

A estimativa é de que o aumento de 2% nas vendas em relação ao mesmo período de 2016, se confirme - reiterou o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Pelotas (Sindilojas), Gilmar Bazanella. Com a queda nos termômetros nos últimos dias, os artigos preferidos têm sido confecções e calçados. Itens de perfumaria, bastante lembrados na data, continuam na lista dos mais vendidos.

O casal Cassiana Hellwig, 27, e Robert Kath, 24, é um dos que esticaram até o último dia para decidir o que comprar. “Por enquanto estamos só pensando. Queremos fazer surpresa”, garantiram os dois no fim da manhã de sábado no calçadão da rua Andrade Neves.

E quem celebra uma vida inteira de união ensina um dos melhores presentes a oferecer ao companheiro, sem necessidade de preparar belos pacotes: “É um dia para autocrítica, para a gente pensar se não tem sido egoísta, se tem conseguido abrir mão em benefício do outro”, resume Vicente Sacco Netto, 74. E ganha o coro da esposa, Regina, 72: “O mais importante é a amizade, o companheirismo. É o que, realmente, fica”, reforça, enquanto caminhavam, de mãos dadas, pelo calçadão.

Otimismo
A expectativa positiva para as vendas não é só em Pelotas. A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas também estima incremento, de 3,5%. No Rio Grande do Sul, a Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo vai ainda mais longe e projeta um aumento de 6,5% nos negócios no Dia dos Namorados de 2017.

 

Notícias relacionadas


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados